O crescimento do turismo no concelho de Odemira tem-se sentido no litoral, mas também no interior do concelho, segundo o presidente da Câmara, José Alberto Guerreiro, que diz que o sector económico já representa “cerca de 30% da actividade económica” do território.

José Alberto Guerreiro | Presidente da Câmara de Odemira | © Helga Nobre

“A agricultura é o sector mais forte, até pelo efeito exportador que tem, mas não temos a menor dúvida que o turismo tem tido um crescimento impar, especialmente nestes últimos dois anos”, disse o autarca, em declarações ao Diário da Feira, que acrescentou, a título de exemplo, que esse incremento se tem sentido “em Odemira, Santa Clara-a-Velha e São Luís”.

José Alberto Guerreiro lembrou ainda que o impacto do aumento da procura tem reflexos, não só nos alojamentos turísticos, como na restauração, nas actividades náuticas ou na venda de produtos locais.

 

Com o crescimento do sector, o autarca aponta para “cerca de 500 postos de trabalho” no sector do turismo, criados nos últimos dois anos no concelho de Odemira.

 

O turismo “tem vindo a ganhar notoriedade” no concelho alentejano, destacou ainda José Alberto Guerreiro, que afirmou haver “um crescendo” no negócio, que “não é apenas sazonal”.

“É uma prática que cada vez mais se estende ao longo de todo o ano, Março, Abril e Maio foram meses excelentes este ano e Junho também há bons níveis de ocupação”, assegurou.

 

A afirmação é confirmada por alguns empresários do concelho entrevistados pelo Diário da Feira durante a FEI~TUR. Francisco Machado, do Monte das Alpenduradas, um alojamento de turismo rural na Zambujeira do Mar, disse que neste momento as estadias no seu estabelecimento turístico “já quase igualaram” as de todo o ano de 2016.

Francisco Machado | Monte das Alpenduradas

Carlos Lourenço, proprietário da empresa de animação turística Nature Activities, focada na promoção de actividades na natureza principalmente na tradicional época baixa, entre setembro e junho, aponta para “um crescimento de cerca de 20%” da procura desde o ano passado.

Carlos Lourenço | Nature Activities

 

Previous Último dia da FEI~TUR com observação de aves, gastronomia, dança e desporto
Next Ostras do rio Mira, para provar na Tasca do Celso